Brasília volta ao cenário mundial: André Mariano é convocado pela FIJ para arbitrar o Campeonato Mundial Sênior 2018

A Federação Metropolitana de Judô – FEMEJU volta ao cenário mundial na arbitragem, convocado pela Federação Internacional de Judô – FIJ, e com o aval da Confederação Brasileira de Judô, o nosso diretor de arbitragem, André Mariano arbitrará no Campeonato Mundial Sênior Individual e Por Equipes Mistas, em Baku/Azerbaijão, nos dias 20 a 27 de setembro de 2018.

"Eu não posso deixar de agradecer ao senhor por tudo o que fez, faz e ainda irá fazer por mim Sensei Gonzaga. Todas as suas aulas, orientações, conselhos, onde só estávamos nós dois, não foram em vão. Eu consegui Sensei, eu cheguei lá por meus próprios méritos e investimentos, mas jamais devo esquecer das minhas origens quando o assunto é arbitragem de judô - MUITO OBRIGADO!!!”, agradeceu André Mariano.

Mariano com o Mestre Luiz Gonzaga Filho 8º Dan presidente da FEMEJU e seu professor de Arbitragem

Recordando o passado, Brasília é um dos poucos estados que sempre possuiu árbitros internacionais, como o Sensei Gunji Matsushi, Sensei Julio Adnet e Sensei Antonio Santana. Atualmente, contamos com dois árbitros FIJ A, Sensei André Mariano e Sensei Bruno Ramos e um árbitro FIJ B, Sensei Edson Schultz.


Mariano com o Mestre Takeshi Miura 9º Dan membro da CNG da CBJ e com o árbitro FIJ B Edson Schultz 7º Dan e parceiro de KATA há 25 anos

Além do Campeonato Mundial, André foi convocado para participará do Curso de Árbitros da IJF Academy, no período de 04 a 08 de agosto, em Budapeste/Hungria, e depois ficará para arbitrar o Grand Prix de Budapeste, 09 a 12 de agosto. Quando retornar ao Brasil, convocado pela CBJ, arbitrará o Troféu Brasil Interclubes e o Grand Prix Nacional, no período de 15 a 19 de agosto, em Canoas/RS.

O comprometimento na busca do saber de maneira marcante, importante e significativa do EQUILÍBRIO entre valores, princípios e conceitos inerentes ao estudo e interpretação das Regras de Arbitragem, prática do judô, respeito e hierarquia, compreendendo que os erros e acertos fazem parte do aprendizado para aqueles que reconhecem e estão dispostos a evoluir com humildade, é o caminho que procuro seguir”, comentou André.


Mariano com o Mestre José Pereira Silva 8º Dan membro da CBJ, com o árbitro FIJ A Olímpico Edison Minakawa 7º Dan e com o árbitro FIJ A Paralímpico Jeferson Vieira 6º Dan (estes últimos foram os representantes do Brasil em Mundiais Sênior anteriores).



Voltar